domingo, 30 de janeiro de 2011

sábado, 29 de janeiro de 2011

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

just dare to be

Atreva-se a ser ingénuo - '' Dare to be naïve''.







..entre atirar-se ao lago e morrer de desgosto(s) pela morte da pequena filha e a atirar-se à vida e :

“Descobrir o quanto um indivíduo miserável e desconhecido com uma esposa dependente e um filho recém nascido pode fazer em benefício de toda a humanidade.”



''Don't fight forces, use them.''

R. Buckminster Fuller





escolheu a segunda. God Bless you Mr R. B. F!


We are on a spaceship; a beautiful one. It took billions of years to develop.

We're not going to get another. Now, how do we make this spaceship work?


There is no energy crisis, food crisis or environmental crisis.

There is only a crisis of ignorance.


If the Success or Failure of this Planet, and of Human Beings,
Depended on How I Am and What I Do,
How Would I Be? What Would I Do?





quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

each day, each thought, counts

''If I've learned anything - and these days I feel more aware of what I have not yet learned than of what I have -- it's that my life in any given moment is exactly what I make it. If I have a positive attitude, then there is positivity in my life; if I have a negative attitude, there is negativity in my life. If I take care of my body through proper diet and exercise, I'm more likely to be happy than if I do not. If I meditate and keep my spiritual practice constantly in mind, I'm more likely to be happy than if I do not. If I forgive, I'm more likely to be happy than if I do not. I realize not only intellectually but viscerally that the purpose of our lives is to learn to be happy, and I understand my own responsibility to do and think and say the things that make happiness more probable.


Sometimes I look at the world around me and despair, as I suppose most everyone does, at the current spate of humanity's trials and tribulations. But I see enchantment and miracles and love all around me too, and I know that they are God's consistent response to the mess humanity can make of things. How tragic the suffering a wrong-minded view of the world creates, and how merciful that the universe keeps throwing us new opportunities to do things differently. I know that beyond this world is a realm of greater possibility, and the veil that separates us from there is so much thinner than we think.

Every time we see beyond the veil, we become veil-lifters for others as well. Our criticism, blame, judgment and such only thicken the veil, while forgiveness and mercy and compassion dissolve it. It really is so simple, yet sometimes so difficult. And yet it is the choice we make, every moment of every day.''


Marianne Wiliamson

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

a vida..

"Para mim os homens caminham pela face da Terra em fila indiana.

Cada um carregando uma sacola na frente e outra atrás.
Na sacola da frente, nós colocamos as nossas qualidades.
Na sacola de trás guardamos os nossos defeitos.
Por isso durante a jornada pela vida, mantemos os olhos fixos nas virtudes
que possuímos presas em nosso peito.
Ao mesmo tempo, reparamos impiedosamente nas costas do companheiro
que está adiante, todos os defeitos que ele possui.
E nos julgamos melhores que ele, sem perceber que a pessoa andando atrás de nós,
está pensando a mesma coisa a nosso respeito.


*"A vida é como jogar uma bola na parede:
Se for jogada uma bola azul, ela voltará azul;
Se for jogada uma bola verde, ela voltará verde;
Se a bola for jogada fraca, ela voltará fraca;
Se a bola for jogada com força, ela voltará com força.
Por isso, nunca "jogue uma bola na vida" de forma que você não esteja pronto a recebê-la.
A vida não dá e nem empresta; não se comove e nem se apieda. Tudo quanto ela faz é retribuir e transferir aquilo que nós lhe oferecemos"


Albert Einstein (não sei se é tudo de autoria de AE. )



(*uma versão leve para a lei física  - e espiritual - da Ressonância: processo de iniciar e amplificar uma resposta vibratória, num sistema receptor que está em sintonia com um sistema emissor..)

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

A respiração por Eckhart Tolle



A Respiração

Podemos descobrir o espaço interior criando lacunas no fluxo de pensamentos.
Sem elas, o pensamento se torna repetitivo, desprovido de inspiração, sem nenhuma centelha criativa - e é assim que ele é para a maioria das pessoas.
Não precisamos nos preocupar com a duração dessas lacunas. Alguns segundos bastam. Aos poucos, elas irão aumentar por si mesmas, sem nenhum esforço de nossa parte. Mais importante do que fazer com que sejam longas é cria-las com frequencia para que nossas atividades diárias e nosso fluxo de pensamento sejam entremeados por espaços.

Certa ocasião alguém me mostrou a programação anual de uma grande organização espiritual. Quando a examinei, fiquei impressionado pela rica seleção de seminários e palestras interessantes. A pessoa me perguntou se eu poderia recomendar uma ou duas atividades. "Não sei, não. Todas elas me parecem muito interessantes. Mas eu conheço esta: tome consciencia da sua respiração sempre que puder, toda vez que se lembrar. Faça isso durante um ano e terá uma experiência transformadora bem mais forte do que a
participação em qualquer uma dessas atividades. E é de graça."

Tomar consciência da respiração faz com que a atenção se afaste do pensamento e produz espaço. É uma maneira de gerar consciência. Embora a plenitude da consciência já esteja presente como o não-manifestado, estamos aqui para levar a consciência a essa dimensão.

Tome consciência da sua respiração. Observe a sensação do ato de respirar. Sinta o movimento de entrada e saída do ar ocorrendo em seu corpo. Veja como o peito e o abdomen se expandem e se contraem ligeiramente quando você inspira e expira. Basta uma respiração consciente para produir espaço onde antes havia a sucessão initerrupta de pensamentos.

Uma respiração consciente (duas ou três seria ainda melhor) feita muitas vezes ao dia é uma maneira excelente de criar espaços em sua vida. Mesmo que você medite sobre sua respiração por duas horas ou mais, o que é uma prática adotada por algumas pessoas, uma respiração basta para deixa-lo consciente.

O resto são lembranças ou expectativas, isto é, pensamentos.
Na verdade, respirar não é algo que façamos, mas algo que testemunhamos. A respiração acontece por si mesma. Ela é produzida pela inteligência inerente ao corpo. Portanto, basta observá-la. Essa atividade não envolve nem tensão nem esforço. Além disso, note a breve suspensão do fôlego - sobretudo no ponto de parada no fim da expiração - antes de começar a inspirar de novo.

Muitas pessoas tem a respiração curta, o que não é natural. Quanto mais tomamos consciência da respiração, mais sua profundidade se estabelece sozinha.

Como a respiração não tem forma própria, ela tem sido equiparada ao espírito - a Vida sem uma forma específica - desde tempos ancestrais. "O Senhor Deus formou, pois, o homem do barro da terra, e inspirou-lhe nas narinas um sopro de vida; e o homem se tornou um ser vivente." A palavra alemã para respiração - atmen - tem origem no termo sânscrito Atman, que significa o espírito divino que nos habita, ou o Deus interior.

O fato de a respiração não ter forma é uma das razões pelas quais a consciência da respiração é uma maneira eficaz de criar espaços na nossa vida, de produzir consciência. Ela é um excelente objeto de meditação justamente porque não é um objeto, não tem contorno nem forma. O outro motivo é que a respiração é um dos mais sutis e aparentemente insignificantes fenômenos, a "menor coisa", que, segundo Nietzsche, constitui a "melhor felicidade". Cabe a você decidir se vai ou não praticar a consciência da respiração como verdadeira meditação formal. No entanto, a meditação formal não substitui o empenho em criar a consciência do espaço na sua vida cotidiana.

Ao tomarmos conciência da respiração, nos vemos forçados a nos concentrar no momento presente - o segredo de toda a transformação interior, espiritual. Sempre que nos tornamos conscientes da respiração, estamos absolutamente no presente. Percebemos também que não conseguimos pensar e nos manter conscientes da respiração ao mesmo tempo.

A respiração consciente suspende a atividade mental. No entanto, longe de estarmos em transe ou semidespertos, permanecemos acordados e alerta. Não ficamos abaixo do nível do pensamento, e sim acima dele. E, se observarmos com mais atenção, veremos que essas duas coisas - nosso pleno estado de
presença e a interrupção do pensamento sem a perda da consciência - são, na verdade a mesma coisa: o surgimento da consciência do espaço.

(Pág. 211 do livro O Despertar de uma Nova Consciência de Eckhart Tolle -
Ed. Sextante)

 (Obrigada Rui )

desliga...

para te Ligares.
também o telemóvel.

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

acordados..ou a dormir

“Há três tipos de pessoas no mundo, aquelas que estão a dormir, aquelas que estão em agitação e aquelas que estão despertos.



Se tentar acordar a pessoa que está a dormir, ela apenas resmungará e voltará a dormir. Se tentar acordar a pessoa que está agitada ela acordará apenas o tempo suficiente para vos maldizer e, de seguida, voltará a dormir.


Em vez de os tentar acordar, se se deparar com alguém que está a dormir ou em agitação o que deve fazer é afofar a sua almofada, aconchegá-lo e beijá-lo na testa.


A alegria importante para os que estão despertos é procurarem-se mutuamente, conectarem-se com outros que estão despertos, conversar, cantar e celebrar juntos. Isto irá criar um engrandecimento da consciência. À medida que este engrandecimento aumenta e se espalha, irá despertar os agitados e começará a mexer nos que ainda estão a dormir.”


Buckminster Fuller

Paradigma

PARADIGMA OU OUTRO ÂNGULO


Mudança. Eu falo sempre em mudança. Mudança de caminho, mudança de vida. Mudança de estruturas e mudança de vista. Quanto mais mudas, mais o teu olhar se vai abrindo para o infinito, para as novas dimensões. Nós, cá em cima, não estamos particularmente preocupados com a mudança aí de baixo. A mudança só na matéria.

Podes mudar de mulher, mudar de marido, mudar de emprego e até mudar de país. Mas isso de nada te adiantará se não te mudares a ti próprio como pessoa. Há gente que muda na matéria a vida toda, e permanece a mesma pessoa durante todo esse tempo. O que não adiantou nada a nível de evolução.

Agora imagina uma pessoa que permanece na mesma casa 30, 40 anos, e no mesmo emprego e no mesmo casamento, o mesmo número de anos, mas que consegue não ser igual todos os dias, que consegue reinventar-se. Consegue vivenciar cada detalhe da vida aí em baixo. Essa pessoa aparentemente não mudou nada. Mas isso não é verdade para nós cá em cima.

Para nós só interessa o «dentro». O «dentro» de vocês. Por isso, antes de pensares em grandes mudanças na matéria que podem tornar-se catastróficas, pensa apenas em mudar de paradigma. Mudar de ângulo de visão, e olhar as velhas e pesadas coisas como inspiração para ir mais além, mais aberto e mais livre.

Olha para ti. Vê como estás nas coisas. Como as vês. Pensa em olhar para elas daqui do alto. De um ângulo mais puro, mais ancestral. Vais sentir entrar dentro de ti a gratidão dos habitantes do céu. Essa gratidão que sentimos de cada vez que um de vocês abre a sua inspiração à luz, é comummente chamada de Amor Incondicional. Sente esse amor. Sente. Olha para todos os teus problemas pelo parâmetro desse amor. E não precisas de mudar nada, a vida muda por ti.

O LIVRO DA LUZ – Pergunte, O Céu Responde

de Alexandra Solnado


segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

rise up !

''CAMINHO

As pessoas têm tendência para, quando fazem perguntas ao céu, percepcionar as respostas como se fosse sempre correr tudo bem. Não estão preparadas para as perdas. Não estão preparadas para os enganos. Não estão preparadas para a realidade. Consideram que, só porque o Eu Superior ou os sinais mostraram que o caminho é por ali, nunca mais haverá percalços, nunca mais haverá encruzilhadas.

Nada mais falso.

Quando o céu mostra uma via, ela pode ser a melhor via, pode ter a ver com a tua energia original, pode ser o caminho da evolução. Pode ser isso tudo. Mas se tiveres de vivenciar algo, e não estiveres disponível para essa vivência, as perdas estarão nesse caminho de luz.

O nosso caminho é apenas um caminho. É o mais correcto, é o original, é a via exacta. Mas não deixa de ser um caminho. E como tal tem curvas, tem obstáculos, tem pedras. Não te esqueças: tudo na matéria é dual. O bom e o mau, na mesma proporção.

Mas esse caminho terá uma vantagem que mais nenhum caminho terá. Ele é teu.

E tudo o que a tua alma vivenciar nesse percurso, tudo o que tiveres que passar, desde que não o abandones (o caminho), tudo isso será de maior valia para a tua evolução. Essa é a vantagem. Eu nunca disse que viver era fácil. Mas num caminho contrário à evolução, num caminho que não tem a tua energia, tudo fica ainda mais difícil.

Por isso, escolhe a tua via, a tua, a que tem a tua cor e a tua textura. E segue caminhando. Não te esqueças de sentir, nunca. Deixar de sentir retira-te automaticamente da tua energia. E esse caminho, apesar dos apertos, dos desvios e das confusões, tem uma vantagem que nenhum outro algum dia terá. Esse caminho vem dar a mim.''


O LIVRO DA LUZ – Pergunte, O Céu Responde, de Alexandra Solnado