sexta-feira, 27 de abril de 2012

Difficult Times



''April 27, 2012
Growing Pains
Difficult Times


We can also benefit from times of constriction and difficult to help us grow and learn.

It can be very challenging to maintain a positive attitude and a measure of faith when you are in the midst of difficult times.
This is partly because we tend to think that if the universe loves us we will experience that love in the form of positive circumstances.

However, we are like children, and the universe is our wise mother who knows what our souls need to thrive better than we do.
Just as a young child does not benefit from getting everything she wants, we also benefit from times of constriction and difficulty to help us grow and learn.
If we keep this in mind, and continue to trust that we are loved even when things are hard, it helps us bear the difficult time with grace.

This period of time in history is full of difficulty for a lot of human beings, and you may feel less alone knowing you are not being singled out.

There are extreme energy changes pulsing through the universe at every level and, of course, we are all part of the growing process and the growing pains.

It helps if we remember that life is one phase after another and that this difficult time will inevitably give way to something new and different.
When we feel overwhelmed we can comfort ourselves with the wise saying: This too shall pass.

At the same time, if you truly feel that nothing is going right for you, it’s never a bad idea to examine your life and see if there are some changes you can make to alleviate some of the difficulty.

Gently and compassionately exploring the areas giving you the most trouble may reveal things you are holding onto and need to release: unprocessed emotions, unresolved transitions, or negative ways of looking at yourself or reality.

As you take responsibility for the things you can change, you can more easily surrender to the things you can’t, remembering all the while that this phase will, without doubt, give way to another. '' (Daily Om)




quinta-feira, 26 de abril de 2012

Esperança




Os avisos (terceiro)

'Screvo meu livro à beira-mágoa.
Meu coração não tem que ter.
Tenho meus olhos quentes de água.
Só tu, Senhor, me dás viver.

Só te sentir e te pensar
Meus dias vácuos enche e doura.
Mas quando quererás voltar?
Quando é o Rei? Quando é a Hora?

Quando virás a ser o Cristo
De a quem morreu o falso Deus,
E a despertar do mal que existo
A Nova Terra e os Novos Céus?

Quando virás, ó Encoberto,
Sonho das eras português,
Tornar-me mais que o sopro incerto
De um grande anseio que Deus fez?

Ah, quando quererás voltando,
Fazer minha esperança amor?
Da névoa e da saudade quando?
Quando, meu Sonho e meu Senhor?

Mensagem, Fernando Pessoa


domingo, 22 de abril de 2012

quinta-feira, 19 de abril de 2012

sensível



«Eu sei que és sensível. Tu podes não saber, mas eu sei que és sensível.
A tua sensibilidade vive nos teus poros, nas tuas células, na tua vibração.
A cada vez que te magoam, desaba o céu em cima da tua cabeça.
E tu só precisas de te entristecer, de te fragilizar.
Como eu digo sempre, «Deixa doer para passar depressa».

A tua sensibilidade é um trevo de quatro folhas, é talvez o teu maior dom, o
maior dos maiores.
Mais forte do que seres inteligente, é seres sensível.
Mais forte do que seres arguto, é seres sensível.
Mais forte do que seres rico, bonito, capaz, simpático, é seres sensível.
Mais forte do que seres forte, é seres sensível.

As pessoas sensíveis sentem as dores do mundo. Dói? Dói.
Mas é infinitamente mais verdadeiro, mais harmonioso, do que bloquear a
sensibilidade e andar por aí, feito palhaço, na ilusão de que tudo vai
melhorar… porque sabemos que dessa maneira não melhora nunca.
Ser sensível é ter conexão total, directa, ininterrupta e irreversível.

É mais difícil? É. Mas, por outro lado, quando se está bem, quando se está
feliz – e começam a ser muitas as vezes em que isso acontece –, a alegria é
incomensurável.
O que seria alegria é agora êxtase.
O que seria felicidade é
agora estado de graça.
E os realmente sensíveis, aqueles que já aceitaram a sua sensibilidade plena e absoluta, os que já não bloqueiam, os que aceitam sentir tudo, tudo, tudo, já sabem o que é estar em estado de graça. E já não querem prescindir dele.
E já não querem outra vida.»

domingo, 15 de abril de 2012

terça-feira, 10 de abril de 2012

one day

an act of kindness as its passed from one individual to the next

(Obrigada Elisabete)

sexta-feira, 6 de abril de 2012

EMF - campos eletromagnéticos - Poluição




Estamos rodeados por realidades que não se vêm, mas existem.
As emoções e os sentimentos por exemplo, os pensamentos, a dor.

No entanto ninguém nega a sua existência, porque já a experimentou no coração, na mente, na pele.
Sabe mais ou menos identificá-los, e registá-los em si e nos outros, seja por intuição, seja por demosntrações externas desses mesmos estados.

A energia que nos permeia, de que somos (tudo e todos) feitos, e que nos rodeia, já menos seres sentiram, ouviram, cheiraram ou viram.

Que tudo é composto de energia, é um facto científico, incontornável. Os seus aspectos espirituais, já a maioria contorna e afasta do seu entendimento e caminho.

Hoje quero falar de outra realidade que não se vê, não se conhece quase, e não se sente de imediato os seus efeitos. A energia Eletromagnética.

Não sou entendida, apenas - e a partir desta segunda - sou atenta ao fenómeno e co-responsável. Por mim e pelos outros no que toca ao meu comportamento.

Helder Luis, deu-me a perceber um pouco desta realidade perigosa e oculta.

Sem alarmismos, mas com enormes cautelas, há inúmeras coisas que podemos fazer nos nossos hábitos, em nossas casas ou trabalho, para minorar - anular é impossível, só se voltassemos à era dnãp eletricidade - os efeitos 'secundários' , desta poluição no nosso organismo e na nossa vida.

Apesar dos interesses e lobbies corporativos e governamentais em ocultar e boicotar o verdadeiro impacto destas radiações na nossa saúde, há estudos privados independentes que prosseguem nesse sentido de clarificar e denunciar esse 'invasor'.

Há relatos de causa/efeito relacionados com as EMF (eletric magnetic fields) como leucemia em crianças,  cancros em adultos (incluindo tumores cerebrais), doença de Lou Gehering, depressão clínica, suicídio, abortos, Alzheimer e outras demências.

As medições das radiações a um telemóvel, por exemplo, são brutais, comparadas com a frequência 'aceitável' reconhecida por algumas organizações como a Baubiologie Maes (directrizes para a Bilogia de Construção) ou para a Powerwatch .

Na verdade, agora, não vamos mais viver sem eles...

 [ fontes de EMF: eletrodomésticos, telemóveis, linhas de alta tensão, luzes fluorescentes, telefones (DECT e móveis), antenas de telemóvel, bases de telefone portáteis, modems 3G USB, boxes TV/internet (com WiFi ligado por defeito), TDT, aquecedores, equipamento audiovisual, computadores e consolas de jogos, secadores de cabelo, iluminações e ligações elétricas, equipamento médico, de escritório, industrial, sistemas de segurança e transportes..]

Mas podemos ter imensas cautelas e procedimentos no uso e permanência se quisermos preservar a saúde que temos.

Hoje como vivemos numa sociedade electrificada e constantemente ligada, em qualquer lugar a que nos desloquemos, vamos estar expostos a EMFs.
Comboios, comboios subterrâneos(metro), elétricos (metro de superfície), aviões e aeroportos, carros e autocarros, entradas/saídas eletrónicas, antenas de telefones portáteis, lojas, cafés, cabeleireiros, hospitais, clínicas, centros comerciais, escolas, .. são locais de exposição a altos níveis de EMF.


algumas dicas :

''COMO NOS PROTEGER

Com este cenário torna-se óbvio que, quando aceitamos os riscos potenciais para a saúde, independentemente se existe ou não relação entre a exposição a radiações de campos eletromagnéticos e os sintomas de doença, devam ser adotadas medidas de precaução para reduzir os riscos eventuais.

MEDIDAS DE PRECAUÇÃO:
  • · Evitar ter aparelhos elétricos ligados nas tomadas quando não estão em uso.
  • · De preferência não cozinhe em micro-ondas, porque ele também altera a estrutura molecular dos alimentos. Mas se tiver que usar, saia da cozinha enquanto ele funcionar.
  • · Afaste abajures ou despertadores da sua cabeceira para o mais longe que seja possível.
  • · Não use lâmpadas de halogênio com transformador e não use lâmpadas econômicas, porque tem radiação muito forte e “sujam” a rede elétrica. Prefira lâmpadas incandescentes ou as novas lâmpadas LED.
  • · Não use telefones portáteis, especialmente os DECT, porque emitem radiação muito forte, mesmo quando não estão em uso. Dê preferência ao telefone fixo.
  • · Use o seu telefone celular afastado do corpo e só use junto do ouvido pelo tempo mínimo de comunicação.
  • · Limite o uso do celular, não fique conversando, para isso use o fixo. Dê preferência à viva-voz ou mãos livres se possível.
  • · Não use o celular dentro do carro, ônibus ou trem. A blindagem metálica faz com o celular aumente a sua potência para poder transmitir. Pare e use apenas ao ar livre, a menos que seja uma emergência.
  • · Não use o Bluetooth, ele transmite usando micro-ondas, e ainda que o sinal seja muito fraco é a longa permanência ao ouvido que prejudica.
  • · Não deixe o celular perto de si durante a noite.
  • · Evite usar aparelhos “sem fios”. Eles usam micro-ondas para se comunicarem entre si. Prefira ligações com fio.
  • ·Use internet com cabo (Ethernet) ligado direto no modem. Não use Wi-Fi. As radiações dos telefones DECT e Wi-Fi são muito fortes, atravessam as paredes e têm alcançe de até 50 metros. Mas se não tiver outro jeito, desligue logo que seja possível. De noite, deixe sempre desligado. Pense nos vizinhos…
  • · Não use o laptop com Wi-Fi, use o cabo de ethernet ligado ao modem ou pode usar a alternativa “Powerline”, que usa a instalação elétrica como rede de transmissão, podendo ligar o computador com fio a qualquer tomada perto.
  • · Não use o laptop nos joelhos. Afeta os orgãos reprodutores.
  • · Se usar o laptop com cabo, não esqueça desligar o Wi-Fi do computador apagando aquele símbolo azul do Wi-Fi. Quando desligado ele fica laranja. Se não, está sendo irradiado pelo próprio lap top. E poupa bateria.
  • · Atenção grávidas. Não usem o laptop sobre a barriga, nem Wi-Fi. Como é obvio o neném será muito afetado. Quando ele nascer, não usem aquele monitor, para vigiar o berço. Usa comunicação sem fios com radiação muito forte.
  • · Procure proteção das radiações que vem de fora. Há cortinas de tecido especial, com fios de cobre e prata que bloqueiam as radiações.
  • · Também há dosseis (mosquiteiros), que cobrem as camas, com os mesmos tecidos, fazendo gaiola de Faraday e protegendo nosso sono.
  • · As paredes podem ser pintadas com tintas especiais à base de carbono, que cortam mais de 99% das radiações que venham do exterior.
  • · Com estes tecidos especiais de alta proteção podem ser feitas roupas de proteção. Para as grávidas a proteção é quase indispensável.
  • · Há filtros especiais para colocar nas tomadas, que limpam e bloqueiam a “eletricidade suja”
  • · Não usar roupas de tecidos sintéticos, porque favorecem a produção de eletricidade estática. Melhor usar roupas confecionadas com tecidos naturais.
  • · Preferir a ingestão de produtos frescos (frutas, verduras, hortaliças), evitar frituras, produtos industrializados e refinados. Lembre, não cozinhe no micro-ondas, se puder.
  • · Ande decalço sempre que possa, isso descarrega e nos liga com a Terra.*

*melhor em locais de água corrente, desmagnetiza e recebe da terra iões negativos do seu campo magnético natural
esperar que alguém atenda o telemóvel para o colocar no ouvido, 
evitar as filas junto às janelas nos comboios, (as radiações entram nos compartimentos metálicos quando há chamadas ou internet ligada e não saem mais)
viajar de pé no metro,
não sentar em cimas das rodas dos autocarros,
cactos com picos e espadas de S. Jorge, diminuem o campo eletromagnético, aumentam os iões negativos
uso dos eletrodomésticos afastados sempre que possível um braço do nosso corpo,
uso de LEDs ou as antigas lâmpadas tradicionais preferencialmente,
painéis solares devem estar afastados das casas,
desligar o wireless em casa sempre que não esteja em uso,
usar telefones fixos com fios,
desligar certas ligações elétricas por exemplo durante o tempo de dormir,
há filtros que se podem por nas tomadas para evitar a Electicidade Suja,
reduzir o uso do secador de cabelo, e evitar o seu uso -sobretudo em crianças- depois das 19h que impede a secreção de meletonina responsável entre outras coisas pela regulação do ciclo claro/escuro,
evitar os portáteis no colo - causa impotência nos homens - tê-los o mais afastados do corpo, até com um teclado adicional
evitar andar com telemóveis no bolso - impotência masculina - a ter, colocar o ecrã junto ao corpo,
se souber onde está a antena de telecomunicação, não se colocar entre ela e o telemóvel
não atender ou fazer chamadas em locais com pouca rede, vai implicar um esforço extra do emissor para conseguir fazer chegar a chamada,
usar auricular, encaminhar o telemóvel para um fixo sempre que possível,
..








Culling out the weeds







''The power of the mind is a curious thing, because it is so powerful yet so difficult to control sometimes.

We find ourselves thinking a certain way, knowing that this thought may be creating trouble for us yet we find it difficult to stop.

For example, many people have the experience of getting sick at the same time every year or every time they go on a plane.

They may even be aware that their beliefs impact their experiences, so continue to think they will get sick and then they do.

Sometimes we need to get sick in order to process something or move something through our bodies.

But often we get sick, or feel exhausted, because we don’t make the effort to galvanize the power of our minds in the service of our physical health, which is one of its most important functions.

We really can use it to communicate to our bodies, yet we often regard the two as separate entities that have little to do with one another.

Knowing this, we have the power to create physical health and mental health, simply by paying attention to the tapes running in our minds.

Once we hear ourselves, we have the option to let that tape keep running or to make a new recording.

We harness the power of the mind in our defense when we choose supportive, healing words that foster good health and high spirits.

All we need to do is remember to tend the field of our mind with the attentive and loving hand of a master gardener tending her flower beds, culling out the weeds so that the blossoms may come to fruition.'' (Daily Om)